Planetários estimulam o amor pelo conhecimento 

 

“A noite envolve-nos, negra e profunda, e a abóbada estrelada cintila exuberante. A Via Láctea atravessa esse espaço como um caminho de prata no meio de um jardim de frutos de ouro. O céu é tão puro, a escuridão tão densa, as estrelas tão brilhantes, que se acreditaria poder colhê-las estendendo os braços. A emoção toma conta de nós. De costas na areia, profundamente concentrados, sentimos intensamente cada ponto de contato entre nosso corpo e o planeta que nos deu a vida. Entramos em nós mesmos e, assim, abrimo-nos ao infinito”. ( Silvie Vauclair, 2002).

Neste trecho Silvie Vauclair resume o sentimento de emoção que observar uma noite estrelada desperta na maioria das pessoas. Emoção esta que os profissionais dos planetários comumente percebem durante as apresentações. 

Contemplar o céu estrelado numa noite sem Lua, longe da iluminação da Cidade desperta profunda emoção e encantamento. Por isso os equipamentos de Planetário ao fazerem a mágica de simular o céu estrelado, vêm ao longo do tempo fascinando pessoas de todas as idades. A harmoniosa combinação do tema de uma sessão no Planetário, com recursos de imagem, som e, em muitos casos, com a interação de um apresentador “inspirado”, podem levar o expectador a experiências ímpares de rara emoção.

Sob o céu estrelado de um Planetário, a ciência se une à arte. Os conteúdos científicos ganham maior significado na medida em que são expressos por meio de linguagens não convencionais carregadas com muita poesia. Assim, pode-se dizer que os planetários são preciosas ferramentas que promovem o estímulo da chamada inteligência emocional, ou seja, estimulam por meio da emoção o amor pelo conhecimento e pelas ciências.

A magia intrínseca aos planetários somada ao fascínio que a Astronomia exerce sobre a maioria das pessoas vem ampliar a importância cultural dos planetários tanto como meio de divulgação científica como um elemento complementar ao ensino formal. 

A medida que os planetários se digitalizam, as “sessões de Planetário” se transformam em espetáculos didáticos multi e interdisciplinares.

 

                                                                  Edna Maria Esteves da Silva

                                                                  Geógrafa e Planetarista aposentada do Planetário da UFSC

                                                                  E-mail: edna.esteves@ufsc.br